Pular navegação e ir direto para o conteúdo

Sáb, 25/02/2017 às 08:00 | Atualizado em: 25/02/2017 às 15:53

Modelo de 'Aliados' é o clássico romântico Casablanca

Luiz Carlos Merten

Você:


Seu Amigo:


Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com ","(vírgula).

Ex.: nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Máximo 200 caracteres


(*) Todos os campos são obrigatórios

Reportar Erro:

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo A TARDE preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Máximo 200 caracteres

(*) Todos os campos são obrigatórios

-A A+
  • Divulgação

    Brad Pitt no papel de Max e sua esposa Marianne, interpretada por Marion Cotillard - Foto: Divulgação

    Brad Pitt no papel de Max e sua esposa Marianne, interpretada por Marion Cotillard

Num momento muito forte de Aliados, Marianne/Marion Cotillard está em pleno trabalho de parto. O mundo é um inferno. Londres bombardeada, explosões por todo lado. E Marianne solta a frase para o marido Max/Brad Pitt. "Look/veja. Essa sou eu de verdade, the real me." A frase, aparentemente disparatada, vai fazer sentido dali a pouco, quando o alto-comando chamar Max Vatan para confrontá-lo com a dura acusação - sua mulher pode ser uma espiã alemã.

Como? Mas se eles participaram de tantas missões juntos? Chegaram a matar um alto oficial alemão? Tudo tem explicação. Cria-se o suspense. Marianne é ou não é? Robert Zemeckis é um diretor irregular que, às vezes, desconcerta o cinéfilo que tenta seguir sua trajetória. São filmes muito diversos. Aventuras, dramas, filmes de rock, de ficção científica, de suspense sobrenatural, de animação. Tem até um vencedor do Oscar - Forrest Gump, o Contador de Histórias.

Aliados é o filme de guerra de Zemeckis. Seu modelo é o clássico romântico Casablanca, de Michael Curtiz, com a dupla Humphrey Bogart/Ingrid Bergman. Joanna Johnston foi indicada para o Oscar por seus figurinos, que são deslumbrantes. O filme é chique, glamouroso. Enche os olhos. Mas há um segundo filme, dentro desse primeiro. Na verdade, um outro filme que desconstrói o glamour. O ideal seria ver duas ou três vezes Aliados, como já fez o repórter. Na hora em que mata o oficial nazista, Marianne troca um olhar com a mulher dele. Por quê? Que mulher é essa? Em algum momento é sincera? Quando? Toda a construção dramática de Aliados oculta uma desconstrução. O filme à moda antiga é, na verdade, pós-moderno. Dois em um. Um filme de roteirista, que avança a trama. E outro de diretor, dizendo para o espectador que não é nada disso.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


outras notícias

15/02/2017 às 21:34

Tensão marca o ótimo

Tensão marca o ótimo "Aliados"

26/12/2016 às 20:20

'Minha Mãe É Uma Peça 2' tem segunda melhor estreia do cinema nacional em 2016 - Foto: Reprodução | TV UOL

'Minha Mãe É Uma Peça 2' tem segunda melhor estreia do cinema nacional em 2016

17/11/2016 às 00:01

"Rifle" é o grande vencedor do XII Panorama Coisa de Cinema

22/10/2016 às 09:15

Panorama Coisa de Cinema vai exibir 30 longas baianos - Foto: Divulgação

Panorama Coisa de Cinema vai exibir 30 longas baianos

< >

Imprimir

imagem

Antes de imprimir lembre-se da sua responsabilidade e comprometimento com o meio ambiente.

Se preferir, envie por e-mail ou gere um arquivo em .pdf

Deseja realmente imprimir? nãosim

Botão Fechar
Copyright © 1997 - Grupo A TARDE.Todos os direitos reservados.
Rua Prof. Milton Cayres de Brito n° 204 - Caminho das Árvores - Salvador/BA. CEP: 41.820 - 570 Tel.: ( 71 ) 3340 - 8500 | Redação: ( 71 ) 3340 - 8800
últimas notícias