Extremo Oeste Baiano

Da Redação Seg , 19/11/2018 às 09:18 | Atualizado em: 19/11/2018 às 09:22

Produtores são orientados sobre a prevenção do bicudo para a próxima safra de algodão



A Associação Baiana dos Produtores de Algodão (ABAPA) reuniu produtores, gerentes e técnicos de fazendas dos núcleos do Alto Horizonte, da Estrada do Café e do Anel da Soja para orientá-los e debater ações estratégicas para a prevenção e combate a pragas e doenças nas lavouras de algodão da safra 2018/2019 no Oeste da Bahia, antes mesmo de iniciado o plantio da nova safra. Foi reforçada, também, a importância da adoção de medidas que visam monitorar a situação atual de capturas de bicudo do algodoeiro, manejo de áreas de soja rotacionadas, além de estratégias para eliminar plantas voluntárias às margens de estradas vicinais e rodovias próximas aos núcleos.

O coordenador do programa fitossanitário da ABAPA, Antônio Carlos Araújo, acredita que estes encontros são fundamentais para garantir uma mobilização dos produtores para a adoção de medidas comuns que visam o aumento da produtividade e a redução de perdas na próxima safra 2018/2019. Para garantir o crescimento da produção de algodão na Bahia, o presidente da ABAPA, Júlio Busato, acredita que o uso das estratégias para prevenir e combater pragas como o bicudo tem sido fundamentais para reduzir a quantidade de aplicações e os custos, garantindo também maior produtividade e qualidade da fibra.

A ABAPA prevê crescimento de 24,9% de área plantada na próxima safra de algodão na Bahia, que deve se manter como o segundo maior produtor da fibra no Brasil. Na oportunidade, os técnicos do programa fitossanitário da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (AIBA) também orientaram os produtores e técnicos sobre a prevenção e combate a doenças da soja, cujo plantio da safra 2018/2019 está em andamento no oeste da Bahia.