Da Redação Qua , 17/07/2019 às 19:41 | Atualizado em: 17/07/2019 às 19:47

Programa Primeiro Emprego estimula acesso de jovens à universidade



Pesquisa realizada pela Fundação Luís Eduardo Magalhães (FLEM) e pela Fundação Estatal de Saúde da Família (FESFSUS), mostra que 83% dos beneficiários do Primeiro Emprego que estão na universidade utilizam recursos do programa estadual para custear estudos. A pesquisa foi realizada com 2.662 beneficiários que atuam ou já atuaram em órgãos do poder executivo estadual. Resultado de investimentos de mais de R$ 209 milhões nos últimos dois anos e meio, o Programa Primeiro Emprego está funcionando como um incentivo para que jovens egressos da Educação Profissional tenham acesso não só ao trabalho, mas também ao Ensino Superior.

O levantamento - realizado por meio de questionário on-line, no período de março a abril deste ano - identificou 864 beneficiários do programa cursando uma universidade, o que representa 32,5% do total de respondentes. Outros 38 beneficiários (1,4%) já concluíram a graduação. O dado mais relevante, no entanto, é que 83% dos que frequentam a universidade consideram que a renda obtida com a contratação tem sido fundamental para o seu ingresso e/ou permanência no curso superior. “As pesquisas com o público-alvo do programa reforçam a relevância social da iniciativa com a celebração do primeiro contrato de trabalho”, avalia o secretário estadual de Administração, Edelvino Góes.

De acordo com o coordenador de Acompanhamento de Políticas Sociais da Casa Civil, Antônio Almerico, a pesquisa tem dois objetivos. “O primeiro, de caráter estratégico, é mensurar uma das dimensões do impacto social do programa; já o segundo, de caráter operacional, é estabelecer procedimentos que contribuam para beneficiários do programa  permanecerem e concluírem o curso superior”. A pesquisa deverá ser realizada semestralmente, após as matriculas propiciadas pelo Sistema de Seleção Unificada do MEC (SISU). 

De dezembro de 2016, quando a iniciativa foi lançada, a junho deste ano, o Primeiro Emprego já viabilizou a contratação de 5.486 jovens egressos do ensino técnico da rede estadual de Educação Profissional para atuação em órgãos e entidades do poder executivo estadual, a título de primeira experiência profissional.

Promovido com recursos do Fundo de Combate à Pobreza, o Programa Primeiro Emprego é viabilizado por meio de contratos com a Fundação Luis Eduardo Magalhães e a Fundação Estatal de Saúde da Família, sob a gestão da Secretaria de Administração do Estado (SAEB). A iniciativa também propicia a contração de estagiários e aprendizes técnicos de nível médio em órgãos e empresas públicas e em empresas privadas beneficiadas por incentivo fiscal estadual. Em todas as vertentes, a convocação é feita pela Secretaria de Trabalho, Renda e Esporte (SETRE), com base em um ranking elaborado pela Secretaria de Educação do Estado (SEC), baseada, por sua vez, pelas notas obtidas durante o curso técnico concluído pelo beneficiário.