Da Redação Qui , 14/11/2019 às 11:53 | Atualizado em: 14/11/2019 às 11:55

Twitter lança guia sobre alfabetização midiática para educadores



Em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), o Twitter montou o "Ensinar e Aprender com o Twitter", um guia que tem como objetivo ajudar educadores a capacitarem os alunos com as habilidades de alfabetização midiática, contribuindo para o uso responsável das ferramentas que a rede social apresenta.

No guia, é possível conhecer diretrizes de melhores práticas sobre alfabetização midiática da UNESCO e dicas de como professores e pais podem usar o Twitter como uma ferramenta de aprendizado na sala de aula ou em casa. No documento estão reunidos textos teóricos, planos de aula e estudos de caso.

O vice-presidente de Políticas Públicas, Governo e Filantropia Corporativa do Twitter, Colin Crowell, ressaltou, no blog da rede, a importância da parceria com a UNESCO, além de destacar a necessidade da alfabetização midiática contra a desinformação. “Esperamos que este manual tenha um impacto tangível e benéfico para estudantes de todo o mundo, ajudando os educadores a transmitirem informações e habilidades críticas às gerações mais jovens sobre como navegar em um ambiente de mídia cada vez mais complexo”, declarou.

O "Ensinar e Aprender com o Twitter" também pretende contribuir para a formação digital de bons cidadãos. Por isso, há tópicos sobre segurança on-line e como os educadores devem agir caso se deparem com casos de cyberbullying.

Além de ser disponibilizado online – para ter acesso basta clicar aqui –, o guia também será distribuído em escolas via rede de ONGs relevantes da UNESCO, agências estaduais de educação e a rede europeia de Centros de Internet Segura. Inicialmente, ele será traduzido em nove idiomas: Inglês, Francês, Espanhol, Alemão, Português, Árabe, Japonês, Sueco e Hindi. Mas há o planejamento para que seja traduzido para outras línguas.

O manual é fruto da parceria global de 18 meses entre Twitter e UNESCO. Nesse processo, ONGs que trabalham com alfabetização midiática e informacional tiveram seus trabalhos ampliados e obtiveram suporte por meio do programa Ads For Good da rede social.

Fonte: Roberto Paim – Agência Educa Mais Brasil