Metropolitana

Da Redação Ter , 12/11/2019 às 09:32 | Atualizado em: 12/11/2019 às 10:39

Primeira etapa do Senai Cimatec Park é inaugurada



A primeira etapa do Senai Cimatec Park, localizado no Polo Industrial de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), foi inaugurada nessa segunda-feira (11), com a presença do governador Rui Costa. O complexo de inovação tecnológica e industrial está instalado em uma área de quatro milhões de metros quadrados. O complexo, que inclui dez galpões industriais e um prédio administrativo, é um empreendimento da Federação das Indústrias da Bahia (FIEB) e tem investimento de R$ 80 milhões, oriundos de recursos da Confederação Nacional da Indústria (CNI), do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). 

O governador Rui Costa destacou que o Senai Cimatec Park representa a entrada da Bahia e do Brasil na disputa do novo emprego no mundo. “Hoje, a diferença se dá entre quem investe em pesquisa e tecnologia e quem não investe. Esta inauguração significa um passo adiante para que juntos possamos trabalhar para o desenvolvimento do conhecimento e para a criação de novas empresas a partir da tecnologia, gerando empregos, renda e crescimento econômico. É este salto que o Brasil precisa dar, e hoje a Bahia deu um passo importante rumo ao desenvolvimento". 

O presidente da FIEB, Ricardo Alban, destacou a importância do Senai Cimatec Park para a formação de novos profissionais. “Nós precisamos capacitar nossos profissionais e essa é a grande expertise do Senai Cimatec: treinar a profissão do futuro. O diferencial que teremos é criar um ambiente que permita reter na Bahia a nossa inteligência e desenvolver talentos”. 

O novo empreendimento, reforçou o diretor de tecnologia e inovação do Senai Cimatec, Leone Andrade, tem potencial para atração de empresas. “Iremos atrair centros de pesquisas de empresas brasileiras e internacionais para que se instalem em nossa estrutura. Todo esse ecossistema foi pensado para desenvolvimento do setor industrial. Também iremos criar um ambiente de negócios para termos, nessa área, empresas de engenharia e serviços, dinamizando nosso complexo".

Sobre o Senai Cimatec Park – O complexo faz parte do projeto de expansão do Cimatec, conhecido por ser um dos principais institutos de ciência e tecnologia do país. No local está instalada uma estrutura preparada para responder às demandas da indústria brasileira. Serão atendidas necessidades nas áreas de automação, conformação e união de materiais, além de química, mineração, fármacos, biotecnologia e construção civil. 

O presidente da CNI, Robson Andrade, acrescentou que este é maior parque de inovação da América Latina. “A primeira fase dele está sendo inaugurada e, certamente, vai ajudar muitas empresas a transformar seus produtos e a melhorar a competitividade. Um parque desse favorece muito a atração de empresas que estão em busca de inteligência e de centros de pesquisa". 

Supercomputador - O supercomputador OGBON, considerado o mais potente do país, também foi inaugurado nessa segunda-feira (11), no Centro de Supercomputação do Senai Cimatec, em Salvador. Resultado da parceria entre a instituição de ensino Cimatec e a Petrobrás, o novo equipamento tem foco em pesquisa aplicada nas áreas de Geofísica, Geologia e Engenharia de Reservatórios, além de outros setores estratégicos de óleo e gás. O seu poder de processamento, explicaram os técnicos, permitirá acelerar a tomada de decisões, visando solucionar problemas complexos com significativa redução de tempo de trabalho e custos.

O secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro, afirma que a vinda do OGBON para a Bahia significa o cumprimento de uma etapa importante, que é a questão da Ciência e Tecnologia para promover a formação, o desenvolvimento e a ligação com a atividade econômica. “Fico extremamente satisfeito em ver que este é um computador de maior capacidade, um dos poucos no mundo e único no Brasil. Então, esta é uma estrutura para dar suporte ao desafio que nós temos para adiante que é formar pessoas, estabelecer aqui um novo marco. E é esse tripé importante que faz hoje a estrutura Cimatec na Bahia: formar, desenvolver e fazer a ligação com a indústria, aplicando aquilo que nós pesquisamos, aquilo que nós desenvolvemos, para que isso possa chegar, cada vez mais, na vida das pessoas”, destacou Pinheiro.

O OGBON, que tem uma capacidade de processamento de 1.605 PFlops, é composto por 78 nós de computação GPU (total de 312 placas aceleradoras GPU V100 NVLink) e 27 nós de processamento (204 TeraFlops com processadores Intel Cascade Lake).